Mudança

Pela manhã surgiu a informação de que ontem haveria a posse de João Cleber na direção da Ciretran em Imperatriz. Mas não aconteceu. Entretanto, uma fonte do governo disse que Cleber “está praticamente confirmado”. Seria uma indicação do ex-prefeito Ildon Marques de Souza (PSB), agora aliado do governador Flávio Dino (PCdoB). O acordo político entre os dois resultou na criação da Agência Executiva Metropolitana do Sudoeste Maranhense (AGEMSUL), que tem como presidente Frederico Angelo, também indicação de Ildon. Agente aposentado da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Cleber já esteve na Ciretran  e na Setran. Também foi candidato a vereador. Quem deve estar alegre com a mudança no comando da Ciretran é a classe dos despachantes, que estavam chiando com a forma de funcionamento do órgão.

Prego batido

Não há mais dúvida: o deputado federal Weverton Rocha (PDT) é um dos dois nomes que o governador Flávio Dino apoiará para o Senado, em 2018. No último sábado, em encontro do PDT, declarou apoio à pré-candidatura de Weverton Rocha. O PDT tem sido o partido mais identificado com o PCdoB e, portanto, com forte influência junto ao Palácio dos Leões.

Faltando

Flávio Dino ainda não anunciou o outro nome para concorrer, mas tudo caminha em direção ao deputado federal José Reinaldo Tavares, que está trocando o PSB pelo DEM. No final de semana o governador recebeu no Palácio dos Leões o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, também presidente nacional do DEM. O apoio do partido a Flávio Dino é condicionado à garantia da candidatura de Zé Reinaldo com aval dos comunistas.

Sobrando

Com a chapa fechada, o deputado federal Waldir Maranhão, que tem feito um grande esforço para conquistar o apoio de Flávio Dino, terá que procurar outro rumo, se quiser disputar vaga ao Senado. Ele deixou o PP pelo Avante, “namora” com o PT, mas poderá se filiar ao PTB. Waldir Maranhão, quando era vice-presidente da Câmara e assumiu o comando interinamente, tentou anular a sessão que aprovou a abertura de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). A decisão de Maranhão surpreendeu o meio político e provocou grande movimentação.

Baixa

Militante histórico do PDT, o ex-prefeito de Barreirinhas, Leo Costa, está deixando o partido, segundo ele “com uma profunda dor no coração”. Ele reclama que não teve apoio do partido na sua reeleição, em que acabou sendo derrotado por Albérico Filho (PMDB). O objetivo era a eleição de Amilcar Rocha (PCdoB). Leo Costa já decidiu que vai se filiar ao PSDB.

Óbvio

Conforme declarações do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o Governo Temer terá candidato à Presidência, mas que não será o tucano Geraldo Alckmin. Se o PSDB está deixando o governo, evidentemente que não teria apoio dos peemedebistas. E como em política tudo pode acontecer, e é a arte de “engolir sapo”, não seria de duvidar o PMDB e PT juntos novamente. É aguardar.

FPM

De acordo com informação da Agência Senado, o Plenário deve votar na próxima semana a PEC 29/2017, que aumenta as receitas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Os senadores já aprovaram o calendário especial para a tramitação da proposta, que eleva de 49% para 50% o repasse da União ao fundo relativo ao Imposto de Renda (IR) e ao Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). De iniciativa do senador Raimundo Lira (PMDB-PB), a PEC determina que o acréscimo de receita deverá ser repassado em setembro de cada ano. A estimativa é de que, com a proposta, as transferências aos municípios via FPM possam chegar a R$ 5,6 bilhões em 2021.