Tiro no pé

Um fato inusitado aconteceu durante a sessão de ontem da Câmara Municipal de Imperatriz. Quando os vereadores discutiam o veto do Poder Executivo a um Projeto de Lei, o prefeito Assis Ramos chegou de surpresa no plenário. Ele saiu de mesa em mesa cumprimentando os vereadores e se retirou. A sua presença não agradou até mesmo alguns dos seus aliados. Os vereadores entenderam como uma pressão. O resultado da votação, que estava caminhando para ser favorável, acabou sendo uma derrota para o Executivo. O Projeto de Lei, de autoria do vereador Zesiel Ribeiro (PSDB), dispõe sobre a abertura dos portões das escolas municipais antes do horário do início das aulas. Atualmente, a entrada é liberada às 7h15. Os alunos que chegam antes têm que ficar esperando na calçada. A votação foi secreta, mas alguns vereadores declararam o voto usando o microfone. Foram 16 votos contra e seis favoráveis ao veto. Assis Ramos não se manifestou sobre a decisão da Câmara, mas uma fonte revela que ele achou normal, lembrando a autonomia do Poder Legislativo.

E...

Os vereadores ficaram querendo saber se partiu da própria cabeça do prefeito Assis Ramos a iniciativa em comparecer à sessão, ou se foi influenciado por algum assessor. Consideraram uma inabilidade política. O presidente da Câmara, José Carlos Soares Barros, se disse “perplexo”, observando que nunca tinha acontecido isso. Mas como dizia o saudoso radialista Aldeman Costa, “a casa tá quieta e o povo dentro”.

Cumprindo

O prefeito Assis Ramos sancionou a lei que regulamenta a Guarda Municipal. A próxima etapa é a realização do concurso público. Assim, o prefeito está cumprindo com um compromisso de campanha eleitoral. “A atuação da Guarda Municipal é fundamental para garantir a preservação dos espaços públicos em cidades do porte de Imperatriz. A criação desse órgão é um dos compromissos firmados com a população e que vamos executar com toda a dedicação e zelo necessários para garantir mais tranquilidade a todos”, afirmou Assis Ramos ao anunciar a sanção da lei.

Olha aí!

O PCdoB do governador Flávio Dino constrói a coligação mais “sarneysta” da história para seu projeto de reeleição em 2018. Até agora aderiram ao comunismo o PP de André Fufuca, o PR de Josimar do Maranhãozinho, o PROS de Gastão Vieira, o PTB de Pedro Fernandes, o PRB de Cleber Verde etc...

Eleição Sinrural

Na segunda-feira (04), o Sindicato Rural de Imperatriz realizará a eleição para o triênio 2018/2020. O objetivo da chapa, liderada por Armelindo Ferrari, é dar continuidade aos trabalhos que já vêm sendo executados e fortalecer ainda mais o segmento do agronegócio na região. A votação acontece das 8h às 14h, na sede do sindicato.

Obrigatoriedade

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática aprovou o Projeto de Lei 6794/17, do deputado Lucio Mosquini (PMDB-RO), que obriga as operadoras de telefonia celular a identificar a prestadora destinatária de cada ligação antes de a chamada ser completada. O parecer do relator, deputado Junior Marreca (PEN-MA), foi favorável à proposta. Ele destaca que a portabilidade do número telefônico – isto é, a possibilidade de manter o mesmo número ao mudar de operadora – dificultou para o consumidor saber para que prestadora está ligando. “Se antes era possível saber qual operadora era responsável por um determinado código de acesso, bastando para isso observar os primeiros números do código, com a portabilidade essa possibilidade se extinguiu”, disse o parlamentar maranhense. “Dessa forma, surge a necessidade de garantir aos usuários dos serviços de telecomunicações mecanismos legais que lhes permitam pleno acesso a essa informação”, completou.