MA do Sul

“Nós não precisamos do Maranhão do Sul, porque estamos sentindo a presença do governador do Maranhão”. A afirmação foi feita pelo prefeito de Balsas, Erick Augusto, que recentemente participou com o governador Flávio Dino da inauguração do Hospital Macrorregional daquela cidade. É verdade que o governo está presente nos municípios do Sul do estado. E a opinião do prefeito Erick deve ser respeitada. Mas, mesmo com as inegáveis ações governamentais, o povo da região ainda anseia pela divisão do estado, com a criação do tão sonhado Maranhão do Sul. Ressalte-se, entretanto, que é uma bandeira desfraldada apenas na época de eleições. Depois que são apuradas as urnas, volta a ser enrolada e engavetada. Ninguém fala mais. E isso está levando o povo a desacreditar no movimento. E, assim, o Maranhão do Sul vai perdendo o sentido...

Ausência

Na sessão de ontem, o vereador Bebé Taxista voltou a lamentar a ausência de vereadores em plenário. Quando discursava, estavam presentes apenas 10 dos 21 vereadores. “É preciso que os colegas participem das sessões para discutirmos os assuntos de interesse da sociedade”, afirmou Bebé, com razão, porque está sendo exagerado o número de vereadores ausentes. Às vezes, alguns estão no próprio prédio, mas não vão para o plenário.

Saúde

O vereador Adhemar Freitas Jr. usou a tribuna na sessão de ontem para falar sobre o problema de marcação de consulta. Disse que em um posto de saúde formou-se uma grande fila, mas apenas  quatro consultas com cardiologista foram marcadas. Ele recebeu a reclamação de um cidadão que era o nono da fila e, portanto, não conseguiu a consulta. Desde que assumiu o mandato que o prefeito Assis Ramos, juntamente com o secretário Alair Firmiano, vem buscando resolver os inúmeros problemas na saúde, e a questão de filas e consultas é uma de suas preocupações.

Acúmulo

Os servidores efetivos e comissionados da Câmara Municipal de Imperatriz têm até o próximo dia 13 (sexta-feira) para apresentar declaração que esclareça se exercem ou não função em outro órgão. Quem tiver acúmulo de função será exonerado, conforme anunciou o presidente da Casa, José Carlos Barros, atendendo recomendação do Ministério Público Estadual. Na Prefeitura está acontecendo a mesma coisa. Vários servidores devem “dançar”.

Decisão

O PSDB do Maranhão vai ter tolerância “até certo ponto” com os filiados em relação às eleições de 2018. Mas não vai aceitar qualquer tucano fazendo campanha para candidato a governador que não seja o senador Roberto Rocha. Quem se posicionar ao contrário, terá que sair do partido. Tucanos de alta plumagem, como o vice-governador Carlos Brandão, o suplente de senador Pinto da Itamarati e o prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando, estão decididos a seguir o governador Flávio Dino (PCdoB).

Cota

A PEC que reserva uma cota de vagas para as mulheres na Câmara dos Deputados seria votada ontem pelo Plenário. De acordo com o parecer da deputada Soraya Santos (PMDB-RJ), a reserva valerá também para as assembleias legislativas e câmaras municipais. Serão pelo menos 10% de vagas na primeira eleição depois da aprovação da PEC, 12% na segunda e 16% na terceira.

Posse

Na manhã de ontem, o governador Flávio Dino empossou três novos secretários. O delegado Lawrence Melo Pereira assumiu a presidência da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB). O ex-presidente, José Artur Cabral Marques, passa a comandar a Companhia Maranhense de Gás (Gasmar). Na Secretaria de Estado da Mulher, assumiu a ex-deputada federal Terezinha Fernandes, em substituição a Laurinda Pinto.