Prego batido

O ex-prefeito Sebastião Madeira informou ontem que nada muda o fato do senador Roberto Rocha assumir a liderança do PSB no Senado. Ele vai mesmo se filiar ao PSDB. O ato só não aconteceu na semana passada porque o presidente nacional do partido, senador Tasso Jereissati, estava viajando. Roberto se filiará em Brasília e, depois, haverá grande ato em São Luís, com as presenças de lideranças nacionais e regionais. Na semana passada o senador Roberto Rocha almoçou com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deixando bem clara a sua afinidade com os tucanos. Rocha será candidato a governador, impedindo que o PSDB reedite a aliança com o governador Flávio Dino (PCdoB), que já demonstrou a sua preferência por um candidato de esquerda, principalmente se o ex-presidente Lula for mesmo candidato. Inclusive, na última terça-feira promoveu uma grande recepção ao petista, em São Luís.

Olha aí!

O jornalista Marco D’Eça, de São Luís, informou no seu blogue que o prefeito Assis Ramos (PMDB) não lançará a primeira-dama, Janaina Ramos, tampouco o vice-prefeito, Pastor Alex, como candidatos a deputado estadual. O candidato seria o delegado Josenildo Ferreira, secretário municipal de Educação. Peguntado pela coluna se a informação procede, o prefeito Assis Ramos respondeu: “Não posso tirar esperança de ninguém. Temos que esperar o que o cenário nacional irá nos apresentar. Reforma política”. Recentemente especulou-se que o prefeito lançaria como candidato o médico Fabiano Fiim.

Dividida

Com uma possível candidatura do ex-presidente Lula cada vez mais difícil, o PT deve apostar todas as fichas no ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Outra opção seria apoiar de pronto a candidatura de Ciro Gomes (PPS), opção combatida pelos radicais do PT. Além de uma candidatura do petista, a esquerda vem ainda de Marina Silva (Rede), o próprio Ciro e os eternos candidatos do PSTU, PCO...

Arrocho

A recém-instalada Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) vai jogar pesado com os executivos da JBS. Integrante da Comissão, o deputado maranhense Juscelino Filho (DEM) afirmou que os irmãos Batista não podem ficar impunes. A CPMI vai investigar o acordo de delação firmado entre executivos e o Ministério Público Federal. Foram eleitos os senadores Ataídes Oliveira (PSDB-TO) e Ronaldo Caiado (DEM-GO) como presidente e vice-presidente da Comissão, respectivamente.

Veja só!

Na ânsia de criticar, se “incomodam” até com o fato do prefeito Assis Ramos não ter ido assistir ao desfile de 7 de Setembro com a faixa governamental.

Mudanças

De acordo com informação da Agência Câmara, o Plenário da Câmara dos Deputados pode retomar na terça-feira (12) a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03, relatada pelo deputado Vicente Cândido (PT-SP), que altera o sistema para eleição de deputados e vereadores e cria um fundo público para o financiamento das eleições. Até o início da votação, os deputados vão tentar fechar um acordo para analisar pelo menos o texto básico da proposta, com eventuais destaques para depois. Há sessões subsequentes marcadas a partir das 13h55. Dependendo da negociação, essa PEC pode continuar em votação na quarta-feira.

Mudanças II

Também está na pauta outra proposta da reforma política: a PEC 282/16, relatada pela deputada Shéridan (PSDB-RR), que altera as regras sobre coligações partidárias nas eleições proporcionais e cria uma cláusula de desempenho para acesso a recursos do Fundo Partidário e ao horário gratuito de rádio e TV. Há acordo para que a votação da PEC 282, cujo texto-base já foi aprovado em primeiro turno, só ocorra após a conclusão da análise sobre sistema eleitoral e financiamento de campanhas (PEC 77).