Travando

A Presidência da Câmara dos Deputados terminou não colocando em votação nesta semana, como estava previsto, a reforma política. Está se concretizando a previsão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, no momento no exercício da Presidência da República. Na semana passada, ele reconheceu que, se os deputados não chegassem a um entendimento até a última terça-feira, dificilmente seriam votados o novo fundo público para financiamento de campanhas e as mudanças no sistema eleitoral. Mas o presidente interino, André Fufuca, promete que, mesmo com o feriado da Independência, o Plenário deve tentar votar a reforma política na próxima semana. As votações ocorreriam de segunda a quarta-feira, por causa do feriado de quinta, Dia da Independência. Vale lembrar que ainda tem o Senado e para valer nas eleições de 2018, a reforma tem que ser aprovada até o dia 6 de outubro.

Água

Hoje acontecerá um dos eventos mais importantes do ano, em Imperatriz. “Crise Hídrica do Rio Tocantins” é o tema do encontro que começará às 9h, no auditório do Ministério Público Estadual. Requerimento do deputado Deoclides Macedo foi aprovado na Comissão da Amazônia para a realização do evento, que será coordenado pelo promotor do Meio Ambiente, Jadilson Cirqueira. Haverá a presença de representantes do Comitê de Crise da Agência Nacional de Águas (ANA) e do presidente da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia, deputado Valadares Filho (PSB-SE). O senador Roberto Rocha também estará presente.

Posse

Acontece na manhã de hoje, no gabinete da Presidência, a posse do suplente de vereador Fidélis Uchoa (PRB). Ele substitui o vereador João Francisco Silva (PRB), que se licenciou por 120 dias. Uchoa fez parte da legislatura passada. Com a sua ida para a Câmara, a Secretaria de Planejamento Urbano fica sem titular. O cargo deve ser ocupado por Kleyton Silva, filho do vereador João Silva. Ele já dirigiu a Secretaria da Juventude, no Governo Madeira.

Rendendo

Em decorrência da sua entrevista criticando o governador Flávio Dino (PCdoB), vendo-o como um “desastre político”, o ex-prefeito Sebastião Madeira (PSDB) está sendo bombardeado nas redes sociais, na Câmara e na Imprensa por lideranças comunistas. Ontem, o superintendente regional de Articulação Política do Governo do Estado, Adonilson Lima, chamou Madeira de traidor. “Ele tem um histórico de Judas Iscariotes”, afirmou o assessor do Palácio dos Leões.

Reação

Sebastião Madeira reagiu dizendo que tem “saldo na conta” com Flávio Dino. “Ele jamais me apoiou numa eleição. Em 2012, apoiou Carlinhos Amorim; em 2014 eu o apoiei de todas as maneiras, não só em Imperatriz mas em toda a região. Por enquanto, ele me deve uma”.

Discriminação?

Sem ter o que falar do deputado maranhense André Fufuca, presidente interino da Câmara, a Rede Globo vem se preocupando com o apelido do parlamentar e o fato dele ser médico e não ter feito especialização. E chegou ao ponto de citar a idade de Fufuca (28 anos) como motivo de desconfiança dos deputados. É como se medisse a capacidade da pessoa pela idade. Repugnantes certos posicionamentos da emissora.

Plebiscito

O líder do PSDB na Câmara, deputado Ricardo Tripoli (SP), defende a realização de um plebiscito durante as eleições de 2018 para que a população participe ativamente da reforma política. Com o plebiscito, os cidadãos poderiam escolher, por exemplo, modelos como o distrital misto e o distritão, além de optar pelo tipo de financiamento das campanhas: público ou privado. Tripoli sugere que, nas eleições de 2018, seja usado um modelo provisório.